Dia de Luta da Pessoa com Deficiência (PcD) marca sessão do Legislativo

Lúcia Anglada e Liana Amaral representaram sociedade civil e setor público (Foto: Ivana Gravina)

A sessão desta quarta-feira (21), na Câmara de Macaé, recebeu o setor público e a sociedade civil organizada para falar de acessibilidade e inclusão das Pessoas com Deficiência (PcD), durante o Grande Expediente. À frente da Coordenadoria de Atenção à Pessoa com Deficiência do município, criada há pouco mais de dois meses, na pasta da Saúde, Liana do Amaral começou homenageando Romeu Sassaki.

Assistente social, considerado “o pai da inclusão” no Brasil, ele morreu neste domingo (18), aos 84 anos. “Educação, cotas para trabalho, leis e conscientização sobre direitos, entre tantas outras, estão entre suas contribuições em mais de 60 anos dedicados à causa”, disse a servidora. Segundo ela, a atenção às pessoas precisa ir além do diagnóstico de uma patologia. “Precisamos pensar na potencialidade delas”.

Liana mencionou reuniões com adolescentes, responsáveis e entidades, os atendimentos no Hotel de Deus, unidade da secretaria municipal, a retomada da equoterapia e o planejamento do censo das PcDs como ações da coordenadoria, que conta com duas fisioterapeutas e uma assistente social. “Estamos montando a equipe, com o cuidado de não deslocar servidores indispensáveis em outros setores”.

O depoimento da fundadora da Associação dos Motivados pelo Autismo (Mopam), Lúcia Anglada, foi de forte crítica. “Macaé se denomina cidade da inclusão, mas ainda está preparando o censo. Rio das Ostras já começou a realizar”. O presidente Cesinha (Pros) também lamentou, diante dos grandes desafios, como a quantidade de PcDs e a falta de profissionais para atendê-los. “Apesar dos esforços desta Casa, do Executivo, e do tamanho dos recursos que temos, tudo parece um esforço inútil”.

Edson Chiquini (PSD) disse que entidades como a Pestalozzi, Sentrinho e Apae, não têm aumento nos fomentos há dez anos. O líder do governo Luciano Diniz (Cidadania) disse que haverá uma elevação de 30%. Para atuar nas diversas frentes do problema, a Câmara criou a Frente Parlamentar em Defesa da Pessoas com Deficiência (PcD), composta pelo presidente, pelo líder e ainda por Reginaldo do Hospital (Podemos) e Iza Vicente (Rede).

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Últimas Notícias