Moradores do Lagomar protestam contra expropriação

Chefe do Legislativo sugeriu realização de nova audiência pública

Cerca de 100 moradores compareceram à Câmara Municipal de Macaé, para a audiência pública realizada nesta quinta-feira (19/5) sobre a situação das ruas W 30 e MPM no Lagomar. “Estamos convivendo com erros ocorridos desde 2002, quando se iniciou este processo. O impacto da remoção dessas 1.000 famílias, cerca de 5 mil pessoas, será enorme”, disse Cleyton Bastos, da comissão de moradores das duas vias – uma zona de amortecimento do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, com expropriação judicial decidida em 2008.

 

A audiência foi presidida pelo vereador Amaro Luiz (PSB), que lamentou a ausência de representantes da Secretaria da Habitação. Participantes do evento disseram que estão sendo pressionados por agentes da secretaria a se cadastrarem num processo de transferência para apartamentos, no Bosque Azul. “O Executivo foi condenado a atender à exigência da Justiça Federal que é de indenização e não de remoção das pessoas”, disse Amaro.

 

“Tenho informações de que a ausência da secretaria e da procuradoria do município foi trabalhada durante o dia de hoje (19) para que não houvesse representantes nesta audiência”, afirmou Eduardo Cardoso (PPS), presidente da Casa. Foram convidados também representantes do Ministério Público Federal e do juiz da sentença, que também não compareceram. “Apesar do prazo curto, já que a audiência foi aprovada na quarta (18), é lamentável. Era urgente ouvirmos a população sobre essa pressão da secretaria”, disse Amaro.

 

Eduardo sugeriu a realização de uma nova audiência, o quanto antes, convocando regimentalmente representantes da prefeitura. A proposta recebeu apoio de todos os presentes. Foi marcante o protesto de Roberta Viana Rodrigues, também da comissão de moradores. “Não somos invasores. Quando meu pai chegou no Lagomar, há 25 anos, a área não era de amortização. Mesmo depois da criação da zona, o poder público na época não impediu ninguém de construir no local. Esse foi o maior erro. E agora querem nos tirar de lá, onde temos nossa vida e nossa história”.

 

Cooperativa de eucaliptos é alternativa à remoção

 

Foram muitas as queixas dos moradores – destacando-se a pressão da secretaria, que Amaro chamou de “terrorismo” – e as alternativas propostas à sentença. Houve protestos quanto à piora da qualidade de vida que seria mudarem-se de suas casas para apartamentos. Uma opção seria que fosse permitida a permanência das pessoas. Elas montariam uma cooperativa de plantio e venda de eucaliptos, gerando renda e formando um “muro verde” para impedir novas construções. Segundo Cleyton, atualmente, há 900 construções no local.

 

Os vereadores Luciano Diniz (PMDB), Júlio César de Barros (PMDB), o do Julinho do Aeroporto, Maxwell Vaz (SD), Igor Sardinha (PRB), Manoel Francisco (PMDB), o Manoelzinho das Malvinas, Jocimar Oliveira (PMDB) e Welberth Rezende (PPS) também participaram da audiência, além da presidente da Associação de Moradores do Lagomar, Suely de Oliveira Cardoso, e do secretário da entidade, André Carvalho.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Últimas Notícias

Mesa diretora

Competências/Atribuições ( Art. 9 do Regimento Interno)

I – propor Projetos de Resolução que:

a) criem, modifiquem ou extingam cargos, empregos ou funções de seus serviços e fixam os respectivos vencimentos;

b) fixem ou atualizem a remuneração do Prefeito e dos Vereadores, e a verba de representação do Vice-Prefeito e do Presidente da Câmara, obedecido o inciso do Artigo 63, item XVII, da Lei Orgânica do Município;

c) disponham sobre a transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos do Orçamento da Câmara, de uma categoria de programação para outra.

II – elaborar a proposta orçamentária da Câmara a ser incluída no orçamento do Município e apresentar ao Plenário com cópia aos Vereadores;
III – solicitar abertura de créditos suplementares ou especiais, quando os recursos forem insuficientes ou não tenham sido previstos no Orçamento da Câmara;
IV – promulgar as resoluções e os decretos legislativos;
V – pode apresentar indicações, emendas, projetos e etc. para discussão e votação pelo plenário da câmara;
VI – autografar os Projetos de Lei aprovados, para serem encaminhados ao Prefeito Municipal;
VII – determinar, no início da Sessão Legislativa anual, o arquivamento das proposições não apreciadas na anterior;
VIII – prestar contas à população do Município dos trabalhos realizados no ano anterior, pela Câmara, através da divulgação resumida dos mesmos, no mês de janeiro de cada ano;
IX – requisitar força policial, quando necessária a preservação da ordem e regular funcionamento dos trabalhos da Câmara.

Clique aqui para ter acesso à Resolução nº 1965/2016, que regulamenta a aplicação, no âmbito da Câmara Municipal de Macaé, da Lei Federal nº 12.527 e dá outras providências.

Cadastro realizado com sucesso

Seu cadastro será analisado por nosso setor de licitação.

Cadastro realizado com sucesso

Neste período, de acordo com o art. 61 do Regimento Interno (conforme redação dada pelo art. 4 da Resolução n. 2013/2022) ocorre o recesso legislativo e por essa razão não é disponibilizado a frequência dos vereadores.

A Câmara Municipal de Macaé informa que, até o momento, não foram realizados concursos ou processos seletivos recentes. O último concurso ocorreu em 2012. Para acessar informações sobre concursos anteriores, clique no link abaixo e consulte os arquivos correspondentes.