Câmara convida secretário da saúde e cria frente parlamentar para PcD

Luiz Matos defende prestação de contas da Saúde (Foto: Ivana Gravina)

Com a aprovação de requerimento apresentado por Luiz Matos (Republicanos), a Câmara de Macaé receberá no Grande Expediente desta quarta-feira (25) o secretário da Saúde, Alexandre Cruz, e a diretora do HPM, Mayara Rezende, para falarem sobre seus trabalhos. “Eles irão dizer o que está sendo feito, para desmentir fake news que circularam nas redes sociais”, defendeu o autor.

O presidente Cesinha (Pros) falou a respeito. “Quando Alexandre assumiu, pediu um tempo de 90 dias para apresentar resultados de sua atuação. Está bem na época”. Já Reginaldo do Hospital (Podemos) disse que esteve com o secretário, a diretora e Tico Jardim (Pros) no Hospital da Serra. “A unidade passou a receber insulina, que antes não era fornecida”.

Em prol das pessoas com deficiência (PcD)

Cesinha também teve requerimento aprovado, para a criação de uma frente parlamentar visando estimular políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência (PcD). O presidente referiu-se a seu recente lamento de que apesar dos esforços da Câmara, pouco tem sido feito. “Vocês têm ouvido aqui meu desabafo. Precisamos fazer de Macaé uma cidade mais inclusiva”.

Disse que deve haver empenho das secretarias de Educação e da Saúde e ainda de outras eventualmente envolvidas. E mencionou a importância de entidades como o Sentrinho e a Pestalozzi, acrescentando que o prefeito Welberth Rezende (Cidadania) abraçou a causa. Além do próprio Cesinha, Iza Vicente (Rede), Luciano Diniz (Cidadania) e Reginaldo comporão a frente.

Sentrinho e Pestalozzi

Reginaldo do Hospital lembrou que essas instituições contribuem há décadas para a inclusão das PcD no município. “Sabemos das dificuldades que seus dirigentes passam e queremos melhorar a estrutura para eles trabalharem. Além disso, nossa intenção é que nenhuma criança PcD fique fora da escola”.

Luciano, líder do governo, informou que o Sentrinho está há 22 anos sem aumento no fomento de recursos públicos, atendendo hoje há mais de 200 crianças. Relatou que a Pestalozzi, também sem reajuste, oferece acompanhamento neurológico, odontológico e fisioterapêutico. “Apoiando esses serviços, ajudaremos a diminuir o sofrimento das famílias atendidas”.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Últimas Notícias