Vereadores aprovam orçamento da Prefeitura de Macaé para 2015

 <span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px; text-align: justify;">Contudo, os parlamentares do recém-criado bloco de Oposição deixaram claro que a aprovação foi conquistada com ressalvas.</span>

A Lei Orçamentária Anual (LOA), referente ao ano de 2015, foi aprovada por unanimidade na sessão extraordinária desta quarta-feira (17), na Câmara Municipal de Macaé. Contudo, os parlamentares do recém-criado bloco de oposição – Igor Sardinha (PT), Maxwell Vaz (SD) e Amaro Luiz (PSB) – deixaram claro que a aprovação foi conquistada com ressalvas.
 

O Projeto de Lei que estima a receita e fixa as despesas do município teve 180 emendas parlamentares, sendo que quatro delas foram rejeitadas em plenário – três de autoria de Maxwell Vaz (SD) e uma de Igor Sardinha (PT).
 

As três emendas rejeitadas do Maxwell Vaz tinham como propósito limitar os poderes do Executivo. A proposta era retirar do texto da LOA a autorização prévia concedida ao prefeito da cidade para contrair empréstimos no valor de até R$ 50 milhões. Outro aspecto era impedir o remanejamento orçamentário de até R$ 56 milhões – aproximadamente 2% do total dos recursos do orçamento – sem consulta ao Legislativo.
 

Entretanto, Maxwell teve uma de suas emendas aprovadas, a que estabelece prazo para o Executivo avaliar as emendas impositivas dos vereadores. Segundo o texto da emenda modificativa, essa avaliação deve ser feita no primeiro trimestre do ano. E, caso seja necessário algum tipo de alteração ou adaptação, estas devem ser feitas no segundo trimestre. Assim, às emendas parlamentares poderão ser executadas até o final do ano.
 

Já a emenda aditiva do vereador Igor Sardinha tinha caráter informativo. Como há uma exigência legal de que apenas 40% dos recursos previstos no orçamento possam ter o seu destino alterado, o parlamentar solicitou que, no ato da publicação de cada alteração, seja informado também o percentual total remanejado até aquele momento. “Lamento que essa medida simples e meramente informativa tenha sido rejeitada. O objetivo era dar mais transparência ao processo e possibilitar aos cidadãos acompanhar de forma mais clara os atos do Executivo”, justificou o autor.
 

Para Maxwell, apesar de ter votado pela aprovação do orçamento, é preciso esclarecer que os programas de prevenção e políticas sociais ficaram bastante prejudicados. “Programas de prevenção às drogas, à violência e de proteção às mulheres, à infância e juventude foram esquecidos e receberão recursos ínfimos em 2015”, criticou.
 

Igor Sardinha lembrou o robusto orçamento destinado à Secretaria de Comunicação (R$ 20 milhões), que este ano colocou Macaé na mídia nacional duas vezes por ter produzido peças publicitárias polêmicas, taxadas pelo parlamentar de preconceituosas, machistas e sexistas. “Fizemos o que foi possível para melhorar o orçamento, mas não temos o poder de fazer as mudanças que julgamos necessárias para melhor atender a população”, justificou.
 

Apesar das divergências, vários parlamentares, inclusive o presidente da Casa, reconheceram a evolução da peça orçamentária em relação ao ano anterior. O líder do Governo, o vereador Júlio César de Barros (PPL), rebateu as críticas da oposição e as classificou como frutos de posições políticas antagônicas.

Jornalista: Adriana Corrêa

Últimas Notícias

Mesa diretora

Competências/Atribuições ( Art. 9 do Regimento Interno)

I – propor Projetos de Resolução que:

a) criem, modifiquem ou extingam cargos, empregos ou funções de seus serviços e fixam os respectivos vencimentos;

b) fixem ou atualizem a remuneração do Prefeito e dos Vereadores, e a verba de representação do Vice-Prefeito e do Presidente da Câmara, obedecido o inciso do Artigo 63, item XVII, da Lei Orgânica do Município;

c) disponham sobre a transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos do Orçamento da Câmara, de uma categoria de programação para outra.

II – elaborar a proposta orçamentária da Câmara a ser incluída no orçamento do Município e apresentar ao Plenário com cópia aos Vereadores;
III – solicitar abertura de créditos suplementares ou especiais, quando os recursos forem insuficientes ou não tenham sido previstos no Orçamento da Câmara;
IV – promulgar as resoluções e os decretos legislativos;
V – pode apresentar indicações, emendas, projetos e etc. para discussão e votação pelo plenário da câmara;
VI – autografar os Projetos de Lei aprovados, para serem encaminhados ao Prefeito Municipal;
VII – determinar, no início da Sessão Legislativa anual, o arquivamento das proposições não apreciadas na anterior;
VIII – prestar contas à população do Município dos trabalhos realizados no ano anterior, pela Câmara, através da divulgação resumida dos mesmos, no mês de janeiro de cada ano;
IX – requisitar força policial, quando necessária a preservação da ordem e regular funcionamento dos trabalhos da Câmara.

Clique aqui para ter acesso à Resolução nº 1965/2016, que regulamenta a aplicação, no âmbito da Câmara Municipal de Macaé, da Lei Federal nº 12.527 e dá outras providências.

Cadastro realizado com sucesso

Seu cadastro será analisado por nosso setor de licitação.

Cadastro realizado com sucesso

Neste período, de acordo com o art. 61 do Regimento Interno (conforme redação dada pelo art. 4 da Resolução n. 2013/2022) ocorre o recesso legislativo e por essa razão não é disponibilizado a frequência dos vereadores.

A Câmara Municipal de Macaé informa que, até o momento, não foram realizados concursos ou processos seletivos recentes. O último concurso ocorreu em 2012. Para acessar informações sobre concursos anteriores, clique no link abaixo e consulte os arquivos correspondentes.