Diretor do Dona Alba fala na Câmara sobre fila para atendimentos

Marlone responde questionamentos de Guto Garcia (PDT), à direita (Foto: Tiago Ferreira)

O diretor técnico do Centro de Especialidades Médicas Dona Alba, da rede municipal, Marlone Carvalho, ocupou o Grande Expediente na sessão desta terça-feira (22) na Câmara de Macaé. Convidado pelo vereador Paulista (Podemos), ele falou principalmente da fila para consultas e exames, mas respondeu também aos parlamentares sobre outros temas.

De acordo com Carvalho, nos últimos dois anos, o número de pessoas em espera foi reduzido em 70%, havendo ainda fila para as áreas cardíaca, oftalmológica, de otorrinolaringologia e oncológica. São 2,2 mil as mulheres que aguardam mamografia e 400 as que esperam ultrassonografia transvaginal.

No período, foram realizados 26 mil exames de imagens. “Um dos nossos problemas é a porcentagem de 25% de faltas em atendimentos marcados”, informou. Também estão sendo feitas, mensalmente no Dona Alba, 400 pequenas cirurgias. Por meio de parceria com um plano de saúde privado, já ocorreram 50 procedimentos cirúrgicos pediátricos.

Pacientes de outras cidades

O presidente Cesinha (Pros) e Reginaldo do Hospital (Podemos) enfatizaram a necessidade de o município ter uma contrapartida dos muitos pacientes recebidos nas unidades locais e que não são de Macaé. O médico concordou: “Temos cerca de 275 mil habitantes e 300 mil cartões do SUS registrados”. Segundo ele, apenas procedimentos em pacientes com cartões de outras municipalidades são ressarcidos.

Organizações Sociais

Cesinha perguntou sobre a política das Organizações Sociais (OSs), que o prefeito Welberth Rezende (Cidadania) pretende implementar na cidade. “De fato, é uma realidade nacional com 77 mil unidades nesse modelo de gestão, sendo a maior parte reunidas em duas cooperativas”, respondeu Marlone.

Centro de imagens na Serra

O presidente solicitou também a realização de exames de imagem na Região Serrana e Marloni disse que há estudos para a implantação de um centro no Hospital da Serra.

Oncologia

Reginaldo ainda alertou para o sofrimento dos macaenses que fazem tratamento oncológico em Campos dos Goytacazes e não têm suporte para alimentação. Carvalho afirmou estar ciente em busca de solução. Macaé tem 2,5 mil pessoas em tratamento contra o câncer.

Também Luiz Matos (Republicanos), Iza Vicente (Rede), Guto Garcia (PDT) e George Jardim (PSDB) fizeram questionamentos e foram respondidos pelo diretor.

Últimas Notícias